Piauí Magazine


Um dia de sacoleira
dezembro 6, 2009, 3:23 pm
Filed under: Reportagem | Tags: , , ,

Texto e fotos:  Layanna Maiara

Eram uma e dez da tarde e eu e a sacoleira Esmeralda Leão estávamos de saída para mais um dia de trabalho dela. O meu objetivo era acompanhá-la e entender como essas profissionais (sacoleiras) movimentam o mercado da Moda no Piauí. Pois bem. Já estávamos nos dirigindo para porta, quando ela subitamente voltou e disse que precisava orar antes de sair. Oramos e depois saímos.

No caminho para o ponto de ônibus, Esmeralda olhou para mim, sorriu e advertiu: “Olha, vamos andar muito. Se prepare”. Enquanto esperávamos o coletivo, a sacoleira me contava, entre uma risada e outra, como era a sua semana de trabalho. “Eu saio em todos os dias úteis da semana, exceto na quarta, por que eu vou para a igreja”, confessa. Ela explicava que a vida de sacoleira é corrida, por que tem que comprar, vender e cobrar tudo no mesmo dia.

No ponto de ônibus

Esmeralda é professora aposentada e exerce o ofício de sacoleira há 12 anos. Ela declara que não faz divulgação nenhuma e que todas as clientes que conseguiu foi através do “boca-a-boca”.  “Nunca precisei de divulgação. As minhas clientes que me conseguem outras clientes”, afirma ela.

O tipo de venda que Esmeralda exerce é chamado de “venda direta”, que é aquele em que se utiliza muita criatividade e interação com o cliente. Segundo a Associação Brasileira de Vendas Diretas (ABEVD), durante o período de crise mais intenso do ano de 2008, o setor obteve crescimento real de 8,7%.

Esmeralda confirma a pesquisa da ABEVD. No ano passado, ela adquiriu um automóvel graças aos rendimentos obtidos com as vendas. Ela conta que ainda anda de ônibus por que não sabe dirigir, mas acredita que no próximo ano já terá sua habilitação e ser sacoleira vai se tornar mais fácil e lucrativo. “Com o carro eu vou poder me locomover com mais comodidade e atender a mais pessoas”, afirma.

Relação com as clientes

Após dez minutos de espera, pegamos o ônibus e nos dirigimos ao nosso primeiro destino. Nossa primeira parada foi na Loja MCA, onde Esmeralda esperava encontrar muitas peças para vender agora no fim do ano. Passamos mais de duas horas na loja. A cada peça de roupa que Esmeralda pegava, lembrava uma cliente. “Olha, essa saia preta dá certo para a Dulcelene”, observa ela.

Esmeralda conta que se sente como uma amiga das clientes e que sabe o estilo de se vestir de cada uma. Além de sacoleira, às vezes ela exerce também a profissão de personal shopper, que é uma profissional para fazer compras e, assim, cuidar da aparência da cliente. “As minhas clientes confiam muito em mim. Às vezes uma cliente me liga dizendo que vai a uma festa e precisa de um vestido urgente. Eu saio para comprar e volto com uma roupa exatamente ao gosto dela”, diz ela.

Esmeralda comprando uma roupa de festa para uma cliente que ligou dizendo que era “uma emergência”

Tâmara Milene, cliente de Esmeralda há dois anos, afirma: “não existe melhor vendedora que a Esmeralda. Ela sabe tanto sobre que tipo roupa que eu gosto, que há dias em que ela chega com as roupas aqui e eu fico louca por todas as peças”.

Movimentando o mercado

Depois de mais de duas horas na primeira loja, Esmeralda gastou mais de R$ 1,600 em mercadorias que, segundo ela, em semanas, já seriam consumidas. Ela conta que o valor das compras costuma ser mais alto. “Eu já cheguei a comprar mais de R$ 5.000 em mercadorias em uma loja só”, diz.

Após as compras na primeira loja, seguimos a pé para outra loja, onde a sacoleira foi fazer algumas trocas e consumiu mais R$ 300 em mercadorias.

As sacoleiras são o principal público das lojas de pronta entrega de Teresina. No período de fim de ano as lojas ficam abarrotadas de sacoleiras buscando pelas novidades. “No natal tem sacoleira que passa o dia nas lojas só esperando as mercadorias que vão chegar. Na próxima segunda eu vou fazer isso, por que o natal já está chegando”, afirma Esmeralda.

“Atendimento Delivery”

Depois das lojas, nos dirigimos ao centro da cidade, onde a sacoleira foi fazer uma entrega para uma cliente que iria a uma festa logo mais tarde. A cliente agradece o cuidado de Esmeralda e avisa que precisa de roupas para as festividades de fim de ano.

Após muitos ônibus, pegamos o último que nos levará para casa. Durante a viagem, Esmeralda conta que mantém uma agenda com o cadastro de todas as clientes e as contas de todas elas. Ela diz que faz de tudo para que as clientes cumpram com os compromissos: “Há vezes em que eu divido a conta em dez vezes para que as clientes me paguem. Já houve ‘calotes’, é claro, mas a maioria de minhas clientes, graças a Deus, cumpre com seus compromissos”, confessa.


1 Comentário so far
Deixe um comentário

Parabéns, excelente texto, parecia que eu estava com vcs neste dia de tão original… Beijos

Comentário por Elaine




Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: