Piauí Magazine


A onda verde está na moda
dezembro 5, 2009, 8:34 am
Filed under: Reportagem | Tags: , , ,

texto: Vany Santana || fotos: divulgação

Sem dúvidas, a grande preocupação da atualidade está relacionada com a preservação do meio ambiente frente a uma natureza ameaçada. O mundo vive a era da reciclagem, na busca constante por alternativas que diminuam as agressões à natureza. E a moda não poderia ficar de fora dessa tendência. É nesse panorama que muitas empresas do setor de confecções estão buscando desenvolver projetos tanto de reciclagem de produtos quanto de reaproveitamento de tecidos e outros materiais para a confecção de roupas, calçados, bolsas e outros acessórios.

Reciclagem

A reciclagem no mundo da moda teve início através da utilização de materiais descartáveis  para confeccionar tecidos, os quais jamais tinha se imaginado na fabricação de tecido, como garrafas plásticas e pneus velhos. Disso nasceu um movimento denominado “onda verde” que conquistou o mundo da moda e fez repensar o jeito de fazer roupa. Diversas grifes famosas já aderiram a essa nova alternativa e estão enchendo de peças sustentáveis as araras de diversas lojas do país. Materiais reaproveitados, como os tecidos feitos a partir de garrafas PET (Politereftalato de Etileno) são o novo suprassumo de uma moda ecologicamente correta.

Além de limpar a natureza, o processo de fabricação que transforma as garrafas PET em tecido não gera resíduos, pois aproveita as cores naturais do plástico. Ou seja, não leva adição de química, água ou calor. Com 20 embalagens de refrigerante de dois litros consegue-se um quilo de tecido, conforme dados  da ABIPET (Associação Brasileira da Indústria do PET). E mais, com cada PET de dois litros dá pra fazer uma camiseta e com quatro se faz uma calça comprida. Assim, a combinação das fibras da garrafa com o algodão (orgânico) resulta numa linha de peças em sintonia com a causa ambiental.

Tecidos produzidos a partir de materiais reciclados invadem as pessarelas

Aproveitamento de restos de tecidos das fábricas

Mas essa não é a única alternativa que a indústria da moda encontrou  para colaborar com a natureza e com a sociedade. O aproveitamento de restos de materiais de confecção, como tecido, e o reaproveitamento de produtos como roupas usadas, bolsas e calçados velhos é uma prática que vem ganhando terreno nos últimos anos. Muitas empresas de confecções já estão desenvolvendo diferentes projetos e técnicas nesse sentido.

No Piauí, algumas empresas do setor de confecções aprenderam técnicas tanto de melhor aproveitamento dos materiais utilizados na confecção, como também já estão começando a reaproveitar produtos usados. Piripiri, a 157 quilômetros ao norte de Teresina, que hoje é um verdadeiro pólo de moda no estado, já conta projetos que contemplam essa prática. Através de um projeto do Sebrae, as empresas de confecção de Piripiri aprenderam a reaproveitar tecidos. “Esse reaproveitamento vai desde o momento do corte do tecido para a fabricação da roupa, de forma a proporcionar um maior rendimento, resultando em mais peças de roupa, até o aproveitamento das sobras do tecido”, informa a empresária Gorete Rosa, proprietária da New Rosa. A empresa produz calças, saias, bermudas e demais peças em jeans.

Preservação ambiental e ação social

O Sebrae oferece vários cursos de aproveitamento e reaproveitamento de materiais de confecção, tanto em Teresina como Piripiri e Parnaíba. “O objetivo é proporcionar maior rendimento, evitar o desperdício e preservar o meio ambiente, na medida em que esse material que seria descartado na natureza, gerando entulhos e agredindo o meio ambiente, agora é utilizado para fabricação de novos produtos”, informa a instrutora do Sebrae Maria dos Remédios Menezes.

Quando se fala de meio ambiente, está inserida aí ação social. Nesse sentido, o projeto de aproveitamento de sobras de tecidos é desenvolvido também com o intuito de beneficiar as costureiras que trabalham nessas fábricas de confecções. “A iniciativa é também uma forma de gerar uma renda extra para as costureiras. Elas podem ganhar dinheiro em cima do reaproveitamento de tecidos, criando peças pequenas e fáceis de confeccionar”, destaca Lívia Melo, gestora do Projeto Têxtil e Confecção do Litoral Piauiense.

As costureiras aprendem como reaproveitar as sobras de tecidos das indústrias de confecção de forma comercial, utilizando a técnica de mosaico em tecido, corte e montagem das peças, desde estojos e bolsas até colchas e kits para cozinha. Além disso, aprendem a reaproveitar roupas velhas na fabricação de outros produtos, como bolsas e colchas.


1 Comentário so far
Deixe um comentário

BOA TARDE…. TRABALHO COM ARTESANATO GOSTARIA DE SABER, LAGUM PROJETO DE REAPROVEITAMENTO DE ROUPAS USADAS. PROJETOS COMO; APLICAÇÃO DE BIJOTERIA, RETALHO DE TERCIDO, SEMENTE E OUTROS.

ABRAÇO.

Comentário por FRANCISCO JOSÉ DE VASCONCELOS




Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: