Piauí Magazine


Qualificar para crescer vem se tornando imperativo na indústria da moda piauiense
novembro 23, 2009, 8:00 pm
Filed under: Reportagem | Tags: , , ,

texto: Vany Santana || fotos: divulgação

Moda com qualidade. Essa é a palavra de ordem para os produtores de moda no estado. Chega a ser surpreendente o crescimento que o setor de confecções tem alcançado nos últimos anos, movimentando a economia do estado em mais de 2 milhões de reais ao mês e gerando mais de 17 mil postos de trabalho. A produção piauiense envolve, dentre outros produtos, roupas e artigos de couro e similares como bolsas, calçados e outros acessórios.

Quando indagados acerca dos fatores responsáveis por esse crescimento, profissionais do setor, como empresários, empresas de apoio ao empreendedorismo e consultores de moda, são unânimes em afirmar que a qualidade dos produtos piauienses é a mola mestra para o crescimento do setor de confecções.

Qualidade dos produtos  é a mola mestra para o setor de confecções.

Mas para atender com qualidade a uma demanda em crescimento, como é o caso do Piauí, é necessário contar com uma boa oferta de todos os fatores de produção. E um deles, a mão-de-obra qualificada, é apontado, também com unanimidade, como um dos obstáculos enfrentados pela indústria de moda no estado. Empresários afirmam que a escassez de mão-de-obra qualificada dificulta muito o desenvolvimento do trabalho do setor e acaba sendo um entrave a um maior crescimento, não permitindo que as empresas possam ter produções em maiores escalas e provocando até mesmo um encarecimento dos produtos, diminuindo, em consequência, a clientela.

Setor operacional é o que mais necessita de qualificação

Para a empresária Zulmira Rodrigues Alencar, dona da empresa Via Corpus, localizada na cidade de Campo Maior, a 78 quilômetros de Teresina, investir em qualificação de mão-de-obra é uma medida urgente e da qual nenhuma indústria pode abrir mão. “Produção com qualidade requer  bons profissionais em todas as áreas da empresa. Mas, sem dúvida, a prioridade é com relação aos trabalhadores que operam direto na produção. É uma luta encontrar pessoas com qualificação para trabalhar nesse tipo de indústria. O investimento em qualificação é urgente”, declara a empresária.

Ela frisa, contudo, que essa é uma medida que já começou a ser adotada e, mesmo ainda sendo insipiente, já está proporcionando melhores resultados.

Investimento em capacitação gera melhores resultados

Hoje, o estado já está sendo considerado um pólo de moda, com as principais indústrias concentradas nas cidades de Teresina e Piripiri, que está localizada a 157 quilômetros ao norte da capital. E para continuar crescendo, o investimento em capacitação está sendo a maior preocupação do momento, conforme informações do Sebrae. A busca por qualificação tem se tornado cada vez mais freqüente, trazendo visíveis melhoras para o setor. Essa melhora se dá tanto em relação a produtos mais bem elaborados, como em relação ao aumento da produção das empresas já existentes, acesso a novos mercados e ampliação do parque industrial para uma maior quantidade de cidades no interior do estado.

Qualificação no setor operacional é garantia de bons resultados

Só na capital existem hoje 328 empreendimentos voltados para o setor de vestuário. Em todo o Estado são quase seiscentos negócios do setor de confecções, os quais fabricam cerca de 790 mil peças de roupa/mês. Além de Teresina, outras cidades do Estado destacam-se na produção de moda, a exemplo de Piripiri, Parnaíba, Campo Maior, Picos e São Raimundo Nonato, segundo dados do Sindivest. “A preocupação das nossas empresas não é somente produzir em grandes quantidades. A qualidade, é certamente o nosso ponto forte”, enfatiza Francisco Marques de Melo, presidente do Sindivest.

Conforme, Mário Lacerda, diretor técnico do Sebrae no Piauí, o Sebrae tem investido significativamente em qualificação para o setor, seja nas áreas estratégicas, de gestão e de empreendedorismo, seja no setor operacional, oferecendo cursos de capacitação e treinamento de pessoal para trabalhar diretamente na produção. “O Piauí possui um potencial imenso para a confecção, principalmente porque aqui as empresas primam pela qualidade. E, diante da empregabilidade e geração de renda oferecida por esse segmento, nós procuramos investir em conhecimento e qualificação profissional, explorando os potenciais do estado”, explica Mário Lacerda.

Projetos

Ele aponta como exemplos, o Projeto de Confecção executado pelo Sebrae em Teresina, Piripiri, Parnaíba, Campo Maior, São Raimundo Nonato e Picos. Em Teresina, ele atende, especificamente, as 55 micro e pequenas empresas instaladas no Piauí Center Modas, localizado na zona sudeste da capital. “Nós estamos sempre realizando cursos, treinamentos e consultorias para melhorar a qualificação de empreendedores e seus colaboradores, tudo isso dentro dos vários projetos destinados ao setor”, informa Mário. De janeiro a agosto deste ano, foram realizadas quatro turmas de capacitação em modelagem, um curso de operador de máquina industrial, além de consultorias em design e chão de fábrica.


1 Comentário so far
Deixe um comentário

olá boa noite gostaria de saber se vcs trabalham com representante comercial, moro em Belém-Pará, qualquer coisa favor entrar em contato: luiz_pinheiro.netsite@hotmail.com, 91-3269-0905, 8219-5570, aguardo resposta, ok Luiz Carlos PINHEIRO…

Comentário por LUIZ CARLOS




Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: