Piauí Magazine


Responsabilidade Social também é uma tendência da moda
novembro 22, 2009, 12:04 pm
Filed under: Reportagem | Tags: , , ,

texto e fotos: Vany Santana

Responsabilidade social é o conceito do milênio e o profissional de qualquer área que ignora ações nesse sentido está, na verdade, se atirando para fora do mercado. Diante das grandes questões que preocupam o mundo neste início de século, a busca constante por alternativas de mudanças tornou-se palavra de ordem, principalmente quando se fala em economia. Dentro dessa ótica, as empresas estão percebendo que a busca desenfreada por lucros sem maiores preocupações com a sociedade, seja em relação ao meio ambiente, seja em relação às desigualdades sociais, não lhes têm garantido mais os resultados de outrora. Diante dessa nova realidade, elas têm cada vez mais, procurado incluir em suas atividades, ações voltadas para a responsabilidade social.

O segmento de moda não poderia ficar afastado dessa nova tendência mundial. Nesse sentido, muitas marcas têm atrelado seu nome a ações e projetos que contemplam a responsabilidade social. No Piauí, a fábrica de moda íntima Di Donna, desenvolve um projeto de capacitação de pessoas carentes no segmento de moda íntima, através de ONG, que atua dentro da própria fábrica.

A ONG oferece apoio aos produtores caseiros que querem iniciar seu negócio, através de um curso de Tecnologia de Vestuário, que tem duração de um ano e meio, onde os alunos participam de cursos e oficinas de corte, costura e design de moda íntima. A ONG oferece as novas tecnologias do setor, assim como a oportunidade para essas pessoas exercitarem sua criatividade, desenvolvendo novos designers,  e descobrir seu próprio estilo.

Além disso, no Piauí, também existem projetos totalmente voltados para um trabalho social, atendendo populações carentes, através de ações que valorizam o trabalho e a arte, como é o caso da Casa de Zabelê. Projeto da Ação Social Arquidiocesana (ASA) em parceria com a Secretaria Municipal do Trabalho, Cidadania e Assistência Social (SEMTCAS). A entidade atende meninas que se encontram em situações de risco, resgatando-as e oferecendo a elas atividades que desenvolvam o seu senso crítico e as preparem para o mercado de trabalho. Dentre essas atividades, o trabalho com moda tem sido um dos que mais se destacam dentro do projeto. Lá elas participam de curso como de estamparia e reciclagem e oficinas de moda. O curso de moda tem duração de 2 anos, onde as meninas aprendem modelagem, montagem e design de peças.

Casa de Zabelê atende jovens em situação de vulnerabilidade

Hoje, o projeto conta com uma marca de roupas, a Zabelê Moda, possuindo uma loja onde são vendidos os produtos confeccionados pelas meninas. A Oficina de Moda na Casa de Zabelê foi criada no intuito de capacitar pessoas carentes para trabalharem na área de vestuário. O surgimento da marca se deu através da idéia de agregar um trabalho social, que já vinha sendo desenvolvido com crianças e adolescentes, e mercado de trabalho.

O trabalho mais conhecido do projeto é a produção de estampas. As criações das estampas são feitas por uma equipe de profissionais especializados em serigrafias. Algumas estampas são de origem africana, retratando essa cultura, outras são feitas com base em escrituras rupestres e algumas relacionadas a projetos, como as da “dança de zabelê”. As idéias são apresentadas por várias pessoas que participam do projeto. Na casa há um espaço próprio para a confecção das peças.

Conforme Marta Martins, coordenadora do projeto, o trabalho desenvolvido é fruto dos esforços de uma grande equipe, atuando em vários sentidos. “Nós desenvolvemos aqui uma série de ações todas inseridas dentro desse projeto maior que é o apoio sócio-psicológico que é oferecido a essas meninas. Aqui, elas ocupam seu tempo produzindo e aprendendo não só uma profissão, mas valores éticos e cidadania. Mas, o nosso trabalho tem uma amplitude bem maior, alcançando outras pessoas carentes da sociedade, oportunizando que estas pessoas aprendam uma profissão e possam ser inseridas no mercado de trabalho”, explica.

A moda produzida na Casa de Zabelê é conhecida até mesmo nacionalmente. O projeto já foi apresentado em eventos nacionais, como o Piauí Sampa, evento que acontece todos os anos em São Paulo e reúne dezenas de piauienses mostrando seu trabalho e sua arte. “As estampas são a principal marca do projeto, revelando a cultura piauiense e a cultura negra. Mas não é a única. As peças produzidas são de material de qualidade superior e em estilo característico”, frisa Marta.

A moda da Casa de Zabelê é conhecida nacionalmente

As produções das meninas da Casa de Zabelê foram um dos destaques doa Semana de Moda do Piauí, que aconteceu entre os dias 12 e 15 de novembro.


Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: